sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Alemão

Todas as segundas, quartas e quintas saio do trabalho direto para o Instituto Goethe. Estou estudando 9 horas de alemão por semana. Parece muito mas não é. Se eu tivesse mais tempo estudava mais. Tudo para poder entrar nos universos secretos que a língua pode proporcionar. Lugares que só com o idioma local eu poderia chegar. O complicado é dominar esse maldito alemão. Sheiße!!!!













Aprender um idioma exige uma tremenda força de vontade e empenho. Acho que é uma das poucas coisas que tenho prazer de estudar nessa vida. Quanto mais línguas você dominar melhor. O francês, por exemplo, que eu estudava 2 vezes por semana, já me salvou de várias aqui na Europa. Isso sem falar que a aulinha da Regina, acompanhado do João e do Teddy, era muito agradável. Apesar disso, cobrava seu preço em concentração, além de sacrificar a tão indispensável hora do almoço. Olhando para trás não tem como me arrepender. Valeu cada minuto.

Meus chefes aqui até me disseram que o alemão não era tão necessário. Que era uma língua difícil e feia. Concordo que o idioma não é fácil e tem uma sonoridade horrorosa, mas dizer que era dispensável? No meu primeiro dia me pediram para olhar umas imagens de uma campanha de Viagra. Cheguei no computador, abri o Photoshop e tcharam!!!! Tudo em alemão. Falei com o cara da informática e ele disse que as licenças eram todas na língua nativa. Porra, imagina se eu não estivesse afim de estudar? Tava ferrado. Isso que só citei esse exemplo de barreira linguística. Posso garantir que existem muitos outros.

A parte mais chata de estudar um idioma é o início. Acaba parecendo um idiota falando. Todo trancado, dá até raiva. Pensa numa coisa e simplesmente não consegue falar. Até entender a lógica da língua demora um pouco. A parte boa é que, depois de se adquirir uma base, o vocabulário cresce muito rapidamente. Tu só vai somando palavras e completando o quebra-cabeças. Depois de muito estudar e já saber se comunicar, o segredo é desaprender a falar certinho e encher as frases de gírias e malandragem. Aí é só alegria. Eu já ficaria feliz com o primeiro estágio: o do idiota falando. Nem isso tenho conseguido fazer.

E pensar que toda minha família fala alemão. Toda exceto eu e minha irmã. Cresci escutando minha mãe e avós discutindo nesse idioma. Principalmente quando queriam falar mal de mim. Eu só sabia que era algo a meu respeito pois ouvia meu nome seguido de um monte “arrrrr”, “sschhhh” e “ainennnnn”. Minha mãe disse que não me ensinou porque eu não queria aprender. Eu devia ser um diabo mesmo. Desde quando uma criança de 1 a 5 anos quer ou deixa de querer alguma coisa? Bom, eu era difícil mesmo. Todos dizem que quando eu tiver os meus filhos vou ver como é complicado. Pode ser… acredito. Ainda mais se eles forem como eu era. Ich war ein Teufel!!!

Um comentário:

loka disse...

Ach du libe gott!
ahahahahhahahahahah....
M-A-R-A-V-I-L-H-O-SO!!!
A parte da simulação da mãe falando com a vó a teu respeito ta genial!

KUSS

Mana
Kika