sábado, 9 de fevereiro de 2008

Galerie Gillian Morris - Jenny Michel - Staub

Semana passada fui em uma exposição muito legal. Fiquei realmente impressionado. Talvez, nas fotos, que venha a colocar aqui, vocês não consigam dimensionar o efeito que o trabalho do cara tem ao vivo.














Esta curiosa exposição foi aberta na Galerie Gillian Morris. Apesar do nome ser bonito, ela faz parte de um complexo bem alternativo, para não dizer chinelão, de galerias na Brunnenstrasse. São umas 15 no total, ocupando vários prédios e apresentando trabalhos de artistas iniciantes (ou não tão conhecidos).













Achei legal tanto a abordagem quanto o produto visual. O desgraçado não pecou no cuidado, teve uma idéia e tratou dela com carinho. O resultado é a exposição Staub de Jenny Michel.













Sua obra é toda baseada em poeira e sujeira. Os famosos dust bunnies que ficam nos cantos do apartamento ou na boca do aspirador de pó. A grande idéia não está em fazer uma escultura de porcaria, como um artista menos evoluido poderia pensar.



























A diferença está em apresentar uma visão científica da poeira em seus diferentes tipos e procedências. É como aqueles quadros antigos de biólogos, que pegavam insetos, catalogavam e colocavam naquelas caixas de madeira com tampo de vidro. Além dessas ele também emoldurou pedaços de sujeira através de quadrados de acrílico. Exatamente como em um procedimento científico.



























No fim, fica até engraçado ver as anotações onde observa-se desenhos e textos falando sobre o desenvolvimento da poeira. Um gigantesco mural de rascunhos para Doutor Frankenstein nenhum botar defeito.



























É uma abordagem muito legal. Certamente inédita. O ambiente que o cara procurou para desenvolver o trabalho é muito rico. Meu avô tinha esses quadros com insetos de vários tipos: borboletas, cascudos, grilos, etc… Com essa referência na memória, não preciso nem admitir que a lembrança foi importante para minha afinidade na obra de Michel. Sim, existe uma beleza kitsch em tudo isso.













Para quem se interessar e estiver planejando uma viagem pela Europa, aqui vai a dica. A Galeria fica aberta de terça a sábado até as 18h. Não precisa pagar nada, é entrar e se divertir. Na mesma rua existem outros 17 espaços como esse, com exposições muito interessantes. Para quem tem alergia ou rinite não se preocupem. Apesar do trabalho ser sobre poeira o chão é bem limpinho.

3 comentários:

mutantismos disse...

Aê, Marcão.
Qualquer hora apareço aí. Mas me diz uma coisa que me intriga hea tempos: como o Emiliano faz pra trabalhar em alemão?

loka disse...

Teus textos estão cada vez mais interessantes. To adorando ler!
Ando com muita saudade, vou ver se pinto ae ano q vem, por enquanto tenho q esperar meu direito a férias, ehehehhehee...
Ah, fiz uma cópia do teu portifólio eletrônico, fui dar uma espiada e me apaixonei, ehehehe, mana puxa saco! :)
Beijokas
Kika

Guilherme disse...

fala, marco. beleza? é o sapo aqui.

tenho acompahado o blogue, ótimos textos. escreve aí pra guilherme[ponto]dable[arroba]gmail[ponto]com e nos falamos melhor.

abração!
g;