sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Saudade













É o amor.




Estar sozinho em um país estrangeiro não é fácil. Sinto falta de muita coisa. Não da minha família, deles eu já sentia saudades desde que me mudei de Porto Alegre. Muito menos do trânsito de São Paulo ou das longas noites trabalhando na Lew,Lara. Um bom churrasco é algo que também poderia estar nessa saudosa lista. Mas não é sobre isso que queria falar. O que eu sinto saudades mesmo é da minha esposa Lisi.

É engraçado isso. Enquanto você está ao lado da pessoa, diariamente, é impossível mensurar essa falta. E não estou me referindo as coisas grandes que são facilmente perceptíveis. Como aquele apoio depois de um dia complicado de trabalho, ou então sexo. O que eu realmente sinto falta são das pequenas coisas que fazem de um casamento uma experiência única.

Saudades do pé gelado encostando na minha perna nas noites frias. Da forma com que ela me chama quando precisa de ajuda ou daquele sorriso lindo acompanhado de um olhar meigo. Fico sonhando com o beijo matinal antes de sair para o trabalho. Coisas pequenas no dia a dia mas gigantescas quando perdemos. Esse sentimento é tão maluco que sinto falta, inclusive, das coisas que achava chatas: arrumar a casa, estender as roupas da máquina, ir no supermercado ou aquelas implicâncias diárias.

Talvez a maturidade tenha me ensinado a real diferença entre paixão e amor.

2 comentários:

Andrea disse...

Eh amigo Loco...sei bem o que é essa saudade. Mas acredite, ela vai solidificar ainda mais seu amor pela Lisi.

To feliz em saber que você está curtindo esse novo mundo. Adorei ler seu blog.

Super beijo.
Saudade da amiga Andrea.

lisilahorgue disse...

Fazer a esposa chorar estando longe é sacanagem hein Mori?! Que texto lindo. Nosso ap aqui em São Paulo está vazio, meu coração tá apertado, tenho sentido tua falta o tempo todo.

É um prazer ler o teu blog, os textos estão ótimos, adorei.

Saudades da tua esposa, Lisi